Vinhos Verdes

No noroeste de Portugal, encontra-se a Região Demarcada dos Vinhos Verdes. A partir de castas nativas dessa área são produzidos os vinhos verdes: produtos únicos com notas frutadas e florais que não podem ser encontrados em mais nenhum lugar do mundo.

A Denominação de Origem Vinho Verde é dada a vinhos e espumantes (brancos, tintos e rosados), aguardentes vínicas, bagaceiras e a vinagres que conservem a qualidade e genuinidade dos produtos da região.

Para receber o selo de garantia, os produtos vitivinícolas são rigorosamente controlados, incluindo as castas de uva utilizadas, os métodos de produção e as propriedades organolépticas das bebidas produzidas.

Por que verdes?

Sabemos que os vinhos verdes não apresentam coloração esverdeada. Então, por que chamá-los de verde? Uma das explicações diz que o dome deriva do aspecto verde da paisagem onde eles são produzidos.

Entretanto, a explicação que parece mais correta refere-se ao método de produção utilizado no passado, em que as uvas eram colhidas antes de estarem maduras. Verdes, portanto. É possível encontrar restaurantes portugueses que classificam os vinhos entre verdes e maduros, mesmo sabendo que, atualmente, os vinhos verdes são produzidos a partir de uvas colhidas no momento ideal de maturação.

vinhos verdes

Tipos de vinhos verdes

Quem degusta um vinho verde, encontra uma bebida fresca e leve. Há exemplares produzidos a partir da combinação de diversas castas de uva e também varietais de excelente qualidade. A seguir, preparamos uma breve descrição dos vinhos produzidos na Região Demarcada dos Vinhos Verdes.

  • Vinhos verdes brancos: são vinhos de coloração palha, ricos em aromas frutados e florais, harmoniosos e frescos. Dentre as uvas brancas permitidas para a produção de vinhos verdes destaca-se a Alvarinho, casta bastante nobre que dá origem a varietais com enorme potencial para envelhecimento em barrica.
  • Vinhos verdes tintos: não são vinhos populares fora da região do Minho. Apresentam uma cor vívida, com bastante acidez e taninos,
  • Vinhos verdes rosés: também são produzidos com uvas tintas, mas os açúcares permanecem mais perceptíveis que nos tintos. Apresentam aromas de frutas vermelhas frescas.
  • Espumantes de vinho verde: são ainda mais frescos e aromáticos. Eles envelhecem ao menos 9 meses em garrafa (os Reserva, no mínimo 15 meses).

Além dos vinhos, a região também produz dois tipos de aguardente com denominação de origem. A bagaceira é o produto da destilação do mosto de uvas fermentado e apresenta aromas e sabores típicos. Já a aguardente vínica é fruto da destilação do vinho.

Sugestões de vinho verde

Em terras brasileiras, é difícil encontrar um vinho verde que não seja branco. Segue uma lista com três boas sugestões:

Casal Garcia DOC Vinho Verde Branco: Um dos vinhos verdes mais conhecidos do mundo, é leve, refrescante e frutado. Pode ser encontrado em extra.com.br por R$55,90.

Solar das Bouças DOC Vinho Verde Loureiro 2013: É uma bebida levemente frisante rica em aromas frutados e notas de louro. À venda em wine.com.br por R$52,00.

Adega de Monção DOC Vinho Verde Branco: É um vinho de aromas frutados, persistente e seco. À venda em lidador.com.br por R$49,90.

O que você acha dos vinhos verdes? Concorda que eles vão bem com pratos leves, como saladas e carnes brancas? Deixe suas opiniões nos comentários abaixo.

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *